Notícias

Amamentação pobre pode estar relacionada com enxaqueca, epilepsia e isquemia cerebral

30/12/2017

Murilo Lobo Braga

A importância da nutrição e da amamentação para a saúde dos indivíduos é cada vez mais clara entre os pesquisadores da área — e uma nova pesquisa ajuda a corroborar a importância de uma boa alimentação no início da vida.

Publicado no Nutritional Neuroscience, editado pela inglesa Taylor & Francis, o artigo “The facilitating effect of unfavorable lactation on the potentiation of electrocorticogram after spreading depression in awake and anesthetized adult rats”, do pesquisador Rubem Guedes (UFPE), sugere que a qualidade da amamentação pode estar relacionada a importantes doenças que atingem o cérebro, como enxaqueca, epilepsia e isquemia.

No experimento, o pesquisador e três colegas dividiram ratos recém-nascidos em ninhadas de seis e de 12 filhotes — os que estavam no grupo maior, portanto, tinham acesso a uma menor quantidade de leite. Na fase adulta dos ratos, os pesquisadores avaliaram a atividade elétrica espontânea no córtex dos animais. A amplitude desta atividade cresce quando o indivíduo analisado tem quadro de depressão alastrante cortical, condição ligada às doenças anteriormente citadas.

Os resultados mostraram que os ratos menos amamentados tinham menor peso corporal e cerebral, indicando deficiência nutricional. Além disso, este mesmo grupo teve maior amplitude na atividade elétrica cortical.

A conclusão do grupo de pesquisadores é a de que uma lactação deficiente está relacionada a doenças cerebrais. Seus efeitos na saúde neurológica humana, no entanto, precisam de mais pesquisas para serem esclarecidos.

Veja a íntegra do artigo (em inglês).